Flu joga bem, mas perde o título estadual para o SESC-RJ no vôlei feminino

A torcida compareceu, o time jogou bem, mas o Fluminense não conquistou o bicampeonato estadual. Neste domingo, 8, o título ficou com o SESC-RJ, que venceu a segunda partida, disputada na Hebraica, por 3 sets a 1, com parciais de 25×17, 25×21, 24×26, 25×22. O primeiro confronto da final também terminou com o time do técnico Bernardinho levando a melhor pelo mesmo placar. As Tricolores agora se preparam para a estreia na Superliga, que acontece no próximo domingo, 15, contra o BRB/Brasília Vôlei, às 13h.

Antes do início da partida, o Fluminense exibiu uma faixa em apoio à campanha Outubro Rosa, que alerta mulheres sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama.

O Time de Guerreiras entrou em quadra com as centrais Letícia Hage e Lara Nobre, a oposta Renatinha, as ponteiras Thaisinha e Michelle Pavão, a líbero Sassá e a levantadora Giovana, que foi para o saque. O SESC abriu o marcador no contra-ataque, mas o Fluminense buscou a vantagem e virou o jogo (5 a 3). As rivais abusaram do bloqueio até chegarem ao 12º ponto contra 9 no Flu. Hylmer Dias pediu tempo e calma. Coube à ponteira Michelle Pavão empatar para o Tricolor (14 a 14). Em seguida, substituições na equipe das Laranjeiras: saiu Renatinha para a entrada da levantadora Jordane, e a oposta Arianne substituiu Letícia. Um erro de saque de Thaisinha fez o SESC finalizar por 25 a 17.

Mais atento, o Fluminense voltou à quadra e abriu três pontos de vantagem (3 a 0). O forte bloqueio com Letícia Hage e Lara Nobre não deixava a bola passar e Bernardinho viu seu time em dificuldades. Quando as Tricolores mostraram que tinham jogo e muito fôlego, os erros da arbitragem deixaram a partida confusa e o SESC chegou ao 20º ponto. Se atrapalhando em alguns passes, o Flu cedeu: 25 a 21.

No terceiro set, foi a vez de Arianne abrir o marcador e não parar mais. O Fluminense fez 4 a 1, mas logo o SESC chegou ao empate. Os times trocavam pontos e seguiram encostados no placar até a metade do set. Com a ponteira Clarisse, as Tricolores assumiram à frente e a partir daí o rally começou. As rivais empataram (21 a 21) e o Flu, com o apoio da torcida que não parava de gritar, faturou um: 26 a 24.

Bastante equilibrado, o último set começou com ponto do Fluminense. O SESC/RJ reagiu, abriu vantagem, mas viu o Time de Guerreiras encostar no placar. Hylmer pediu tempo novamente para arrumar a casa e deu certo. A equipe passou à frente (15 a 14), e foi a vez de Thaisinha marcar e ouvir o grito da torcida. Tudo encaminhava para mais um tempo de jogo, quando o SESC empatou (21 a 21) e o Flu se atrapalhou. Não era a noite das Tricolores e o time de Bernardinho faturou o título de campeão estadual: 25 a 22.

Para Hylmer Dias, a equipe Tricolor não soube aproveitar as chances que teve na partida:

“Tivemos altos e baixos, Fomos bem no segundo set e depois caímos de rendimento e a mesma coisa aconteceu no último tempo. Tivemos a chance de fechar os sets e não finalizamos. Pagamos com a derrota. Vamos focar na longa temporada que temos pela frente e corrigir alguns pontos”. finalizou.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s