Gol de placa: Fla-Flu ajuda a encontrar criança desaparecida

O Dia das Crianças foi especial para o futebol carioca em 2017. Não só por causa do clássico mais famoso do Brasil. Se em campo, Flamengo e Fluminense não protagonizaram um grande jogo – empataram em 1 a 1 -, fora das quatro linhas deram um show. Antes de a bola rolar no Maracanã, os clubes anunciaram uma escalação diferente: os 11 escolhidos por cada um foram crianças desaparecidas no Rio de Janeiro. No telão do Maracanã foram exibidos cartazes com informações sobre os jovens perdidos.

O resultado foi o reencontro de Luany Cristina dos Santos de Souza com a avó Mônica de Souza. A jovem de 13 anos estava desaparecida desde o início de outubro e foi localizada no dia 15, no Morro da Mangueira. A esperança de Mônica foi reacendida ainda no estádio, quando um torcedor deu informação sobre a localização da menina.

– Assim que minha neta desapareceu eu fui à FIA (Fundação para Infância e Adolescência) para registrar o sumiço dela e para pedir ajuda. Eles me orientaram e me deram um ingresso para ir ao Maracanã, juntamente com outras pessoas que também estão procurando seus filhos e netos. Durante o jogo, quando foi exibida a foto da minha neta no telão, um torcedor contou para um dos assistentes sociais, que estavam nos acompanhando, que tinha visto a minha neta andando pela comunidade da Mangueira – conta Mônica, de 53 anos.

Com a informação em mãos, a avó, orientada pela FIA, foi até a comunidade e espalhou cartazes que tinham uma foto e detalhes sobre Luany. Após três dias na Mangueira, Mônica foi embora segurando as mãos da neta.

– Ela estava na casa de uma amiga, a mesma que estava conversando com ela no meu portão no dia que desapareceu – explicou a senhora.

Moradora do Lins, Mônica tem a guarda de três netos, dois abandonados pelos pais e uma órfã. E agora, mesmo desempregada, está abrigando também a adolescente, amiga de Luany, sob o consentimento da mãe.

– Não me custa nada dar abrigo e um prato de comida para a menina. Ela não quer ficar na casa dela. Eu não sei o que acontece por lá e a mãe não me ligou nenhuma vez até hoje para saber como está a filha. Vou ficar com ela aqui, sim.

O projeto Escalação Solidária foi uma parceria de Flamengo e Fluminense com a agência de publicidade NBS, o Disque-Denúncia, e o programa SOS Crianças Desaparecidas, da FIA.

– Essa ação mostra como é possível associar o esporte com as questões sociais do país, podendo trazer resultados significantes. Fizemos um plantão para recebimento de denúncias durante a exibição do jogo e tivemos muitas ligações, ressaltando a importância desse tipo de iniciativa”, destacou o coordenador do Programa SOS Criança Desaparecida, Luiz Henrique Oliveira.

Fonte: globoesporte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s